Power to the kids - Emponderamento infantil!

20:59


Oi povo do meu coração! Tá, pode parecer que nem gosto tanto de vocês devido às moscas que andam vagando pelo blog, mas Brasil, voltei ao trabalho e com isso ganhei novamente 350 crias de 11 a 15 anos. Anyways, as aulas de inglês lá na escola estão fluindo, a molecada é uma fofurice só e eu sempre na ativa de conscientizá-los sobre questões raciais de forma sutil, porém eficaz.
Comentei na fan page do Aumente o Volume o que aconteceu esses dias e relato aqui again  pra quem não tinha visto
Enquanto fazíamos uma dinâmica sobre mãos que ajudam, time e união, um garoto negro desenhou sua mão e a pintou com um lápis marrom. O outro garoto do seu lado disse "Cara, esta não é sua mão. Parece de escravo?!". Orgulho da vida foi ver o menino negro dizer "Preste atenção, se colocarmos o lápis em cima da minha mão vai ver que é igualzinho." Simples assim, o guri nem se assustou nem nada, super firme de sua negritude! Nessas horas fico tão feliz de ser professora que pude chamá-los em uma sala a parte e explicar com o tom mais amável possível sobre o que era ser humano e como somos todos iguais e ao mesmo tempo diferente. Uma das coisas que disse foi "Amor, eu sei que você não falou que parecia mão de escravo pra ofender seu colega, mas vamos pensar assim, ser negro, ter pele mais clara ou escura significa que você tem a grande sorte de carregar um pouquinho dos seus avós, pais e ancestrais na pele. Por isso que sou dessa cor, você de outra e seu amigo de outra. Não se preocupe, quando você percebe que seu amigo é mais escuro ou mais claro, isso não é bom nem ruim."
Claro que nesses momentos volto para casa com o coração transbordando de alegria. Não porque a questão racial foi "resolvida" ali, mas por saber que a gente pode sim fazer a diferença e que existem pais que tão juntos nessa também! Já pensou se esse menino negro não tivesse a estima que tem por si mesmo? E não estou de sacanagem, mas dos 34 alunos apareceram apenas 3 mãos negras! A minha, a dele e a de uma outra menina (fofíssima por sinal!).

Há alguns dias bombou na internet o vídeo da menininha que deu um "pow pow" em seu colega de classe por chamá-la de feia. A resposta dela foi na lata "Não vim aqui para fazer uma afirmação de moda. Eu vim aqui para aprender, e não parecer bonita. O menino disse que eu tinha 'má aparência', e eu respondi: 'Você não se olha no espelho há quanto tempo? Tchau, tchau. Você está me irritando."

É isso, gente, por um mundo em que crianças que se reconhecem, se estimam e que são emponderadas.
Pra quem quiser saber mais, veja esse post antigo AQUI sobre a identidade dos piquititinhos.
E vocês que são mães, tias, primas, professoras, como lidam com esse tipo de situação? Como era na sua infância? (Oh God, se alguém me chamasse de feia era o fim do mundo).

Beijos!
Polly

Now Playing : Mary Mary - Little Girl

You Might Also Like

0 comentários

recent posts

Like us on Facebook

Popular Posts