Blah-Blah com Karina Vieira - Cabelo tipo 3C/4A

13:10

E o Blah- Blah de hoje traz para vocês uma conversa bem descontraída com a Karina Vieira. Uma mulher de 29 anos, com rostinho de menininha e uma história capilar incrível! Já pensou decidir parar de alisar o cabelo que já estava no meio das costas e depois de apenas 4 meses voltar para casa com um corte joãozinho? Venham conhecer a mulher que se redescobriu como negra e anda super satisfeita com a imagem que reflete no espelho! Tá vendo o que um cabelo não faz?
1.Conte um pouco sobre você e como é a aceitação onde mora.
Eu sou a Karina Vieira, tenho 29 anos - farei 30 dia 10/06- , sou estudante de comunicação social, livreira e MBP (Meninas Black Power).  Bem, quando enfim tive um choque de realidade e decidi me aceitar da forma que sou, minha família não levou muito a sério não... Minha mãe achou que fosse só onda e que logo-logo passaria, não passou (Hahahahahahaha).
As pessoas onde eu moro, em um bairro chamado Magalhâes Bastos aqui no RJ, ainda olham meio torto quando veem alguém de cabelo crespo, quase todas as meninas alisam os cabelos e é quase certo escutar alguma piadinha ou gracinha quando estou na rua.

2. Há quanto tempo seu cabelo é natural?
A história do meu cabelo é praticamente igual a de muitas meninas, só que com alguns detalhes diferentes.
Alisava(relaxava) a raiz o meu cabelo desde os 13 anos porque achava ele diferente de todas as minhas amigas, não me sentia confortável com a forma que ele tinha e não me reconhecia enquanto menina preta. Alisei ele até o começo de 2008(23 anos), quando tive um choque de realidade. Minha melhor amiga, minha irmã de alma,que estava inserida em um grupo de estudo negros, me sacolejou, me colocou na frente do espelho e disse:
"o que você tá enxergando? Essa não é você...Liberte-se, se sinta linda da forma que é!"
 Ainda assim fiquei com um pé atrás (na verdade os dois!), mas a semente já tinha sido lançada...Depois de amadurecer a ideia e ganhar coragem pra tanto, afinal meus cabelos estavam até a cintura e completamente alisado, parei de passar química e depois de mais ou menos 4 meses cortei ele o mais curto que podia. Lembro que não avisei a ninguém da minha decisão, fui no salão e sai de lá parecendo um menino com menos de dois dedos de cabelo e morrendo de vergonha.
A primeira pessoa que mostrei a mudança foi pra ela, claro,e paralelamente a isso, nós conversávamos sobre o que era se aceitar enquanto menina negra, aceitar as suas raízes e se descobrir parte de um mundo novo de cabelos lindos.
A transição de estética não foi fácil(nunca é, né?), mas o que me deu mais força pra não voltar atrás foi o reconhecimento das outras mulheres pretas e a força que elas me passavam. Hoje, pinto quando quero mudar, coloquei tranças uma vez e não me vejo de cabelos alisados nunca mais. Gosto muito da forma como o espelho me reflete!

3. O que te motivou a parar de alisar os cabelos? Como foi essa jornada? Quais estratégias ou penteados te ajudaram durante a transição?
A motivação foi minha irmã de alma, minha melhor amiga. Eu quase não usava internet na época e não tinha ideia que existiam tantos blogs, páginas e sites que falavam sobre transição, então meio que eu não fazia nada, só esperava crescer e usava ele preso até adquirir o mínimo de tamanho pra eu cortar.
Pouco tempo após o big chop
4. Como foi a aceitação de seus amigos e família?
Minha família não conseguia assimilar que o meu cabelo não era liso, eles acreditavam piamente que o meu cabelo só precisava de alisamentos e escovas pra dar “um jeitinho”, então quando eu decidi parar com os processos químicos e depois de pouquíssimo tempo logo cortar, não acreditaram. Foi um choque só, sair com os cabelos abaixo dos ombros e voltar como uma quase careca.
5. Como você cuida dos seus cabelos atualmente?
Confesso que sou meio relapsa, não faço hidratação, fitagem, nadica desses processos. Lavo com shampoo em barra do Chad uma vez por semana e uso qualquer creme de pentear pra finalizar,não uso pente, só penteio com os dedos. Ultimamente tenho usado curly effect, cachos perfeitos da Griffus, leite humidificador da L’oreal, hidratante nutritivo Monoi da Bioderm, gel orgânico do Espaço affro divas e pomada de capim limão e bergamota do Chad.
Intercalo os cremes quando quero efeitos diferentes.
A Karina opta por alguns produtos que são 2 em 1, que servem tanto para o cabelo quanto para a pele, como é o caso dos produtos da marca Chad e Bioderm.
Um dos queridinhos fácil de achar
6. Como você descreve a textura do seu cabelo?
Descobri a pouco tempo que ele é um 3c/4a.

7. Você acredita que o cabelo afro diz algo a respeito de sua identidade? 
O meu cabelo é a própria definição da minha identidade negra, a minha
decisão de parar de alisar foi tomada quando eu me descobri como menina/mulher
negra.

Uma coisa está intimamente relacionada à outra, não dá pra esperar que os
outros te aceitem se você mesma não aceita as tuas características de origem. 

O meu cabelo é a ligação que eu tenho com a minha ancestralidade, é a minha
coroa e enquanto eles estiverem lá (porque tenho planos futuros de raspar a
cabeça) estarão para cima e com muito volume.

8. Alguma dica ou mensagem para nossos leitores? 
Se perceba, olhe-se no espelho, conheça o seu cabelo, por muito tempo eu
me frustrei por projetar que os meus cabelos seriam iguais ao formato e cachos
de outras meninas, quando percebi que as minhas particularidades é que me
faziam tão diferente dos outros e bastante original (porque né, ninguém nesse
mundo vai ser igual a você, nunca) consegui enfim, gostar do que o espelho
refletia.

Então é isso, auto conhecimento, colar com quem te inspira e trocar informações
com as meninas que você admira.




Recado dado, hein? <3
Beijos,

Polly


Now Playing: Céu- Baile de Ilusão

You Might Also Like

5 comentários

  1. Amei o relato da Karina. Assim como a mãe dela, a minha pensou que fosse só uma onda, mas não está sendo de jeito nenhum, sigo firme na transição. Afinal, é realmente bom olhar no espelho e me reconhecer e gostar de mim. Beijos Polly! ;)

    Blog Maia Vox

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso mesmo! Que não seja só uma onda, mas sim uma redescoberta :)
      Parabéns e continue firme!!!
      Beijos!

      Excluir
  2. Minha mãe até hj, depois de uma no de BC ela me fala: "Dá uma chance para seu cabelo ficar pra baixo." kkkkkkkkkkk agora ele é livre, fica bem como ele quiser, amo volumão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkkkkkkkkkk eu acho que é papo de muitas mamães mesmo. A minha dizia assim "Minha filha, vai chegar algum momento em que o seu cabelo vai crescer para baixo ao invés de só para cima?". Bem, hoje ele está mais longo, mas o Volume cresceu para ficar para cima mesmo.

      Excluir

recent posts

Like us on Facebook

Popular Posts